Gravações - Repertório

As obras abaixo estão prontas e disponíveis para apresentações, concertos e recitais.


Nem todas as gravações foram atualizadas, portanto, algumas obras já possuem uma interpretação mais apurada.






Maiores informações, no Link Repertório e Downloads/Gravações

domingo, 27 de março de 2011

Meu primeiro piano!

Como mencionei anteriormente, no post de título ambigüidade, por volta de 2002 adquiri meu primeiro piano.

E é a ele que irei dedicar este texto.

Estudar piano sem piano é especialmente complicado. Qualquer professor de piano que não incentive a compra de um, pode estar negligenciando o crescimento do aluno, pois torna-se simplesmente impossível o bom desenvolvimento técnico, pois as diferenças entre um teclado e o piano são simplesmente gritantes, que ultrapassam as simples "teclas a mais".

Bom, podemos listar algumas diferenças básicas:

  1. Número de teclas
  2. Peso das teclas, devido ao sistema mecânico
  3. Resposta das teclas e sensibilidade

Apenas estes 3 itens já fazem toda a diferença na hora de estudar.

Algumas peças simples para piano, e a grande maioria das peças de período barroco (que definitivamente não são simples) podem ser tocadas em 5 oitavas, por terem sido concebidas para uma primeira geração de cravos e orgãos, que possuíam uma amplitude harmônica menor do que os pianos, porém o desenvolvimento técnico neste caso acaba por ser prejudicado.

Devemos levar em consideração, num primeiro momento, o peso das teclas de um piano devido ao seu sistema  mecânico (êmbolos, martelos e etc), e também  a sensibilidade que este sistema proporciona, sendo necessário maior preparo técnico para a alcançar a devida precisão no toque, afim de fazer com que a música soe da melhor forma possível.


Meu primeiro piano

Agora chegamos ao meu primeiro piano.

Foi comprado em uma loginha em Porto Alegre. Tenho muito a agradecer a minha mãe, que mesmo sem ter tido muitas condições para tal compra, juntou um dinheiro para completar um valor que já existia para este fim, que ficara após o falecimento do meu pai (que fazia pouco tempo que ocorrera).

Munidos de 5.000 reais na época, saímos a procura de um piano, sabendo que com este valor não conseguiria comprar o melhor, mas já poderia ter um instrumento que pelo menos proporcionaria um estudo mais abrangente.

Foto de meu antigo piano aberto.
Em um anuncio no jornal, encontramos um piano da marca Cirei em uma loja chamada Rolads na grande Porto Alegre, por menos de 5.000 reais, que diziam estar totalmente reformado. Munidos do endereço, pegamos um ônibus e fomos a Porto Alegre.

Encontramos a loja, sentei-me ao piano, toquei, e gostei do que escutei. Tinha um som aveludado, uma boa resposta, e os fortes/fortíssimos soavam de forma brilhante. Acabamos fechando a compra do piano, pois não conseguíamos encontrar um instrumento mais barato.

Este piano me acompanhou por 6 anos, e foi importantíssimo para o estudo. Mas é claro, sempre existem problemas.

Afinação


Algo que não havia notado na loja, que notei apenas algum tempo depois dele estar em minha casa, foi a afinação. Este piano estava meio tom abaixo. Trocando em miúdos, se você apertasse a tecla DÓ, soaria um SI, se você apertasse a tecla RÉ, soaria um RÉ Bemol, por exemplo.

Isto seria muito ruim para meu ouvido, que acabou "desafinando" junto com o piano. Ainda hoje confundo-me um pouco, e não sei se estou escutando, por exemplo, um DÓ ou um SI, justamente por ter estudado 6 anos em um piano meio tom abaixo da afinação padrão.

Anos mais tarde, la por 2004, eu fui descobrir a causa disto. Desgaste da Arpa. Devido a idade do piano, as tarraxas não conseguiam mais segurar a afinação padrão, então, possivelmente optaram por baixar meio tom, cujas cordas ficam com uma pressão menor forçando menos as tarraxas.

Agora, você vai perguntar, como eu descobri isso? Da pior forma possível, afinando ele.

Em 2004 o Senhor Nilson , do Instituto de música, foi a minha casa afinar meu piano, e aproveitou e ensinou-me a afinar. Então aproveitamos e acertamos a afinação dele.

Bom, foi uma semana complicada, a afinação segurava 3 dias e sedia. Basicamente foram 15 dias até que ele começou a segurar mais a afinação. Passado um mês o piano já conseguia segurar melhor a afinação. Isto até certo ponto é normal, se você afinar um violão, por exemplo, em outra tonalidade, por umas duas semanas ele tende a "retrosseder" para a afinação antiga, tendo assim um tempo de adaptação.

Porém, como mencionei, devido ao desgaste, algumas notas teimavam em desafinar, sendo necessário assim a correção delas a cada 15 dias, ajuste este que eu mesmo conseguia fazer com uma chave improvisada, já que eu não possuía a chave de afinação.

Ajustes mecânicos


Não pense que um piano acústico vive apenas de afinação. Lembre-se que ele possui todo um sistema mecânico interno. A cada meio ano, o correto é efetuar a devida manutenção disto. Isto engloba a troca de feltros que existem nas conexões, reduzindo assim as folgas, ajustes de êmbolo, martelo e por ai vai, tudo para deixar o teclado mais preciso. Isto é necessário, para que se consiga estudar corretamente. Porém, nem todos tem dinheiro para fazer isto, e eu era um deles. A manutenção completa de um piano (afinação, ajustes e se necessário a reforma do sistema mecânico) pode ultrapassar facilmente os 500 reais.

Cupins


Qual o pianista que nunca teve medo destas pragas? Eu morava em uma casa toda de madeira, e isto foi problemático. Meu piano esteve infestado de cupins 2 vezes. A primeira vez chamamos um profissional para descupiniza-lo. Mas as pragas retornaram em menos de 1 ano. Então, a segunda vez eu mesmo fiz o trabalho.

Uma foto bem antiga, se bem lembro-me,
estava tocando a Sonata Patética
de Beethoven
Arredei o piano e lixei tudo. Localizei os furinhos de cupins e com uma chave verificava a profundidade do estrago. Quando o estrago era muito profundo, eu abria o buraco com a chave. Foi feito um preparado de Jimo, Naftalina e Olho queimado (diesel), que fui passando e injetando na madeira do piano todos os dias, durante duas semanas. Sim, a sala da casa estava com um cheiro horrível, mas não tinha outra opção. Após terminado isto ainda deixei assim poir quase um mês. Não tendo visto mais vestígios de cupins, fechei os buracos com uma massa especial, lixei para alinha e re-pintei.

Os cupins não incomodariam mais tão sedo, voltaram apenas 3 anos depois.


A Marca Cirei


Não encontrei muitas informações acerca desta marca. O que descobri que era natural de Porto Alegre, e que aparentemente eles fabricavam as arpas em série, o causava um indice relativamente grande de falhas. Por isto o problema de desgaste das tarrachas.
Também vim a descobrir que a madeira não era tratada, e o fatop dela ter sido cortada e utilizada antes da total secagem também faz com que seja mais propícia para os cupins.

Portanto, se alguém for comprar um piano desta marca, muito cuidado. Compre apenas se estiver mecanicamente impecável (leia-se reformado, e verifique se não existem folgas), e se for de uma loja de confiança, que tenha feito o devido tratamento da madeira. E ainda assim, somente vale a pena por um preço bem baixo (menos de 3000 reais).

21 comentários:

  1. Muito bom o artigo. Onde é que ficava essa loja Rolads?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Isaias. Francamente eu não me lembro. A única coisa que lembro é que pegava a Farrapos, com o quem vai em direção ao Aeroporto, e em uma certa altura entrava numa rua que fechava esquina com a farrapos, a loja ficava bem próxima da esquina.

      A loja não existe mais, então fica muito difícil localiza-la mesmo.

      Excluir
    2. eu queria saber se pelo menos o som do cirei é bom?? e se voce ainda tem o piano e como esstá agora, eu já tinha ouvido falar desta marca alguns anos atrás me disseram que a coisa é braba.

      Excluir
    3. eu queria saber se pelo menos o som do cirei é bom?? e se voce ainda tem o piano e como esstá agora, eu já tinha ouvido falar desta marca alguns anos atrás me disseram que a coisa é braba.

      Excluir
    4. quer dizer que alguns cireis sairam bons? sabe que vi piano cirei mais caro que o tal M. SCHWARTZMANN.

      Excluir
    5. quer dizer que alguns cireis sairam bons? sabe que vi piano cirei mais caro que o tal M. SCHWARTZMANN.

      Excluir
  2. Adorei o artigo!!! só uma pergunta, meu piano possuí o som meio aveludado o que atrapalha muito minha inspiração para tocar. quando toco nos pianos da escola tenho mais facilidade, ouso ate compor algo de imediato pelo que li em seu artigo creio que possa ser o fato da afinação ter sido feita abaixo do normal. fica a pergunta como descubro se na minha cidade não tem quem afina? a marca do piano é essenfelder quando comprei não mandei afinar poque estava bom. com relação a manutenção do teclado eu mesmo fiz, desmontei tudo lixei algumas teclas que estavam inchadas, colei 4 teclas utilizando cola para madeira e uma prensa para ajudar a colar corretamente. sera que devo arriscar mexer na afinação? pois meu ouvido não é dos piores.
    Dês de já lhe agradeço, um forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo certo Jackson?

      Olha, a questão do som ser aveludado tem mais a ver com a concepção do piano do que com a afinação. Se a afinação estiver meio tom abaixo (o que é possível) o máximo que vai acontecer é você perceber que as músicas não saem tão "brilhantes" como deveriam. Mas o timbre do piano não muda, se ele possuía um som mais estridente, vai continuar assim.

      O que fazer para ter certeza que a afinação está correta?
      Você possui um teclado em casa? Caso sim, ligue ele ao lado do piano e toque a nota LA, pode ser com um som de orgão para facilitar. Compare o LA do piano com o LA do teclado, se "fechar", está na afinação LA-440, que é a padrão de hoje. Se estiver meio tom abaixo, o LA do piano tende a "fechar" com o LA Bemol do teclado.

      Se não tiver teclado, compre um diapasão que reproduza o LA-440. Eu comprei o meu numa loja de instrumentos. Desaconselho aqueles diapasões de soprar (estilo gaitinha), pois eles desafinam com o tempo, sem falar que com o aquecimento do material devido ao sopro, a tonalidade acaba cedendo.

      Abraços, e espero que tenha ajudado!

      Excluir
  3. Oi Josias, gostei muito do seu artigo! Um dia fiz como sua mãe para minha filha. Comprei um piano Cirei de uma família há mais de 10 anos. Agora o piano serve como suporte de coisas, a minha filha não tem tempo. Por isso achei o seu blog. Quero sua opinião. Vender é quase certo que não consiga, com tantas críticas negativas que eu já li, será que consigo por um preço simbólico? E como doação é um presente de grego? Um abraço e felicidades! Yukie

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lais, que bom que gostou, fico feliz!

      Quanto ao piano, a casos e casos. Não são todos os Cirei que são ruins. O meu era ruim (madeira, basicamente), era um dos últimos a serem fabricados, na derrocada da fábrica.

      O melhor é você chamar uma loja especializada, eles irão verificar o estado do piano e dizer se é possível vender ou não. Em Porto Alegre, a Person Pianos volta e meia tem um Cirei a venda. A última vez que vi um, custava na faixa dos 3500 reais (reformado).

      Portanto, não acredito que conseguirá muito pelo piano, principalmente se o desgaste dele é grande e precisará ser reformado.

      Quanto a ele ser um "presente de grego", vai depender do ano de fabricação/modelo. O meu piano precisava de uma reforma geral e um BOM tratamento na madeira. Se o seu estiver no mesmo estado, e optar por doar, é sempre bom você informar e salientar o seu estado real, e cuidar para que não pareça que você esta "empurrando" o piano (querendo se livrar de um pepino, hehehe)!

      Então a dica inicial é tentar contato com lojas especializadas para verificar o real estado do piano, somente assim vai ter uma ideia mais real!

      Excluir
  4. Olá. Tenho um piano, e ele está desafinado. Gostaria muito de afiná-lo pra começar a estudar, mas não sei nem por onde começar. Será que poderia me dar uma ajuda? Recomendar algum site, enfim, alguma coisa pra eu ajeitar ele, hehe. Desde já agradeço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tiago, afinar e regular um piano não é uma tarefa simples.

      Minha recomendação é que contrate um profissional capacitado.

      Problemas que podem ocorrer:
      Espanar as tarrachas, fazendo com que não fixe mais a afinação
      Arrebentar cordas, principalmente das notas mais agudas
      Desrrugular o jogo de martelos
      Alterar relação de afinação (existem várias, Temperada Diatonica, Antiga e etc)


      Então, não é tão simples. O melhor é contratar alguém, e ficar de olho como é feito o processo. As vezes até pegar algumas dicas de como fazer ajustes na afinação, para você mesmo manter.

      Com o tempo, de tanto ver pessoas afinando o instrumento, você começa a aprender. Mas isso é com o tempo. Não da para fazer isso sem nunca ter ao menos visto alguém fazendo!

      Por experiência própria, se você tentar fazer isto sem conhecimento, vai bagunçar toda a afinação do piano (eu tentei e me dei mal na primeira vez hehehehe)

      Excluir
  5. Como era essa sua chave de afinação improvisada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Semelhante a uma chave de boca, mas no tamanho certo para encaixar na tarracha!!

      Excluir
  6. Olá, tenho um amigo que está vendendo um piano Cirei por 2000,00. É um piano muito ruim? O valor está alto? Vi que algumas teclas não saia som pois não encostavam nas cordas. Isso é difícil de resolver? Obrigado!

    ResponderExcluir
  7. Cara valeu.... fiz uma mistur a de Jimo Cupim, querosene, óleo queimado, Jimo inseticida e elinaram-se todos os cupins... e depois de eliminados, coloquei naftalina nos buracos dos cupins....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas fique de olho, nem sempre da certo na primeira vez. Cupim sempre acaba voltando!

      Excluir
  8. DESCOBRI UMA, A FABRICA DE PIANOS CIREI FICAVA NA RUA VOLUNTÁRIOS DA PÁTRIA NUMERO 190 EM PORTO ALEGRE RS, ESTE ENDEREÇO É DE 1951. OU SEJA, ESTES PIANOS SÃO COISA VELHA.

    ResponderExcluir
  9. oi gostaria de comprar um piano para comecar a apreender tocar este sempre foi meu sonho vc pode me incar algum ja tenho 45anos de idade estou velha para começar apreender

    ResponderExcluir
  10. oi gostaria de comprar um piano para comecar a apreender tocar este sempre foi meu sonho vc pode me incar algum ja tenho 45anos de idade estou velha para começar apreender

    ResponderExcluir
  11. Olá! Toco contrabaixo e quero iniciar no mundo do Piano. Estou em vista de comprar um instrumento, dos abaixo qual recomendaria:
    Casio PX-860
    CASIO AP-260
    YAMAHA CLP-330 (Usado)
    MUITO OBRIGADO!

    ResponderExcluir